Céu Enciclopédia

Três céus. Em 2 Coríntios. 12:2 lemos que Paulo foi arrebatado ao “terceiro céu” , o que indica que existem três “céus”.
  1. O primeiro, ou céu físico. O primeiro céu seria o que imediatamente observamos acima de nós. Nós lemos sobre este céu no primeiro versículo da Bíblia; “No princípio, Deus criou os céus e a terra”. Os céus incluiriam o ar, a atmosfera superior, planetas, estrelas, galáxias, etc. O salmista poderia exclamar; “Os céus declaram a glória de Deus” (Sl 19:1). As escrituras não distinguem entre o céu onde os pássaros voam e o céu onde estão as estrelas; ambos são o primeiro céu. No estado eterno, haverá um “novo céu”, bem como uma nova terra (Ap 21: 1).
  2. O segundo, ou céu espiritual. O segundo céu é chamado nas escrituras “os céus” ou “lugares celestiais”. Os lugares celestiais são mencionados cinco vezes no livro de Efésios. Em Ef. 1:3, descobrimos que os lugares celestiais são o reino de nossas bênçãos espirituais. Em Ef. 1:20 os lugares celestiais são uma esfera na qual Cristo foi exaltado sobre todos os outros poderes. Em Ef. 2:6 descobrimos que Deus nos fez sentar juntos nos céus em Cristo Jesus, o que significa que compartilhamos o lugar exaltado que Cristo ocupa no reino espiritual. Em Ef. 3:10. Descobrimos que os lugares celestiais são a esfera operacional dos anjos, “os principados e as autoridades”, e que esses anjos estão aprendendo a sabedoria diversificada de Deus através da observação da Igreja na Terra. Finalmente, em Ef. 6:12, descobrimos que estamos envolvidos em uma batalha espiritual com as forças do mal (demônios etc.) e que essa batalha continua nos lugares celestiais. É necessário olhar para cada um desses versículos para entender o segundo céu, os lugares celestiais, para os quais somos trazidos como crentes habitados pelo Espírito de Deus.
  3. O terceiro, ou céu eterno. O terceiro céu é a morada de Deus, como claramente identificado em 2 Coríntios. 12. É onde Deus está e onde Jesus está sentado à sua direita. É para onde a alma do crente vai quando está ausente do corpo e presente com o Senhor, mesmo estando ainda no estado intermediário. A casa do Pai também está lá, mas não entraremos na casa do Pai até o arrebatamento, quando entraremos como uma companhia redimida, com nossos corpos glorificados.
Como será o céu? Esta é uma pergunta sobre a qual muitos se perguntam. Afinal, queremos saber sobre o lugar para onde estamos indo. Há realmente muito pouco nos dado na Palavra de Deus para nos falar sobre o céu como um “lugar”. Talvez a maior razão seja que Deus quer que sejamos ocupados com a Pessoa no céu, e não com o Lugar! Outra razão pode ser que o céu é tão maravilhoso que não podemos aceitá-lo. Simplesmente não temos capacidade para isso em nossa condição atual. Quando Paulo voltou, ele disse que as palavras que ouviu no paraíso “não eram lícitas para um homem pronunciar” (2 Co. 12:4). Mas sabemos que será um lugar maravilhoso! Apocalipse 4-5 e João 14 são passagens úteis. Em João 14, descobrimos que nosso lar eterno será a casa do Pai. É um lugar caracterizado por amor e luz … as características do próprio Deus. Existem “muitas moradas” naquele lugar; espaço para todos os remidos. É um lugar de comunhão e, acima de tudo, proximidade e comunhão com Cristo; “Eu voltarei e te receberei para mim; para que onde eu estou, lá também estais ” (João 14:3). Em Ap. 4-5, descobrimos que o centro do céu é o trono de Deus e o Cordeiro de Deus. Lá nos tornaremos realidade diante da glória de Deus (Rm. 5:2, Gl. 5:5)! Os anjos estão lá, testemunhando a santidade de Deus e clamando “santo, santo, santo, Senhor Deus Todo-Poderoso” . O céu é um lugar onde não pensaremos em nós mesmos, mas lançaremos nossas coroas aos pés de Jesus. O céu é um lugar de adoração e louvor intermináveis. Todo o céu está ocupado com a dignidade do Cordeiro que foi morto! O céu será total e completa ocupação com o Filho de Deus. Lá nos espera muito que não conhecemos, nem poderíamos começar a entendê-lo agora. Mas a pessoa que nos espera é a mesma que aprendemos a conhecer nesta vida na terra. Já que Ele será nossa única ocupação, não deveríamos estar ocupados com Ele agora?
 
Não há Deus estranho lá portanto não existe
Deus estranho nos tribunais  acima
Aquele ao qual iremos conhecer seu descanso
Nos saudará com um amor bem conhecido.1
  1. Darby, J.N. Rise, my soul, thy God directs thee. Little Flock Hymnbook #76. 1800-1882.